Construção do templo budista

12012016-YanDok1026O TBCB será o primeiro Templo Budista existente em território chileno, e um dos primeiros em toda América Latina.

A construção deste templo não persegue um objetivo religioso e está aberto a todas as pessoas independentemente de sua crença espiritual.

Templo em tibetano –Lha khang– significa  “Palácio dos seres superiores” ou “Campo búdico”, e representa o lugar onde podemos nos conectar com nossa essência e despertar ao Buda interno.

Construir um templo budista traz muitos benefícios, entre eles uma grande purificação para as pessoas, o lugar e o país em que se encontra, assim como a expansão dos ensinamentos ancestrais dos Budas e dos Himalayas com o fim de beneficiar a muitos seres sensíveis.

O Templo externo desperta em nós uma motivação e determinação verdadeira de seguir um Caminho, de praticar a disciplina e nos inspirar para nos manter nela. O Templo é um grande campo de mérito, onde se cultivam ações positivas que geram a causa da felicidade interna.

Um Templo representa o lugar onde podemos cruzar o oceano do Samsara e ingressar ao oceano da Iluminação.

 

Existem muitas maneiras de apoiar na construção de um Templo externo, seja com recursos, tempo ou mão de obra, mas a mais comum é através do altruísmo. Fazer doações para a construção de um templo nos permite cultivar mérito e purificar os karmas das três portas: corpo, palavra e mente.

Independente da quantidade de recursos que se doa, o importante é ter a motivação e a intenção pura de beneficiar a todos os seres sensíveis.

altarHá muitos anos atrás, na época do Buda, um rei na Índia ofereceu a construção de 100 templos budistas. O Buda aceitou com grande alegria sua proposta afirmando que o rei ganharia muito mérito e purificaria através desta ação o karma de 100 mil kalpas que havia gerado por ignorância.

 

A essência do Caminho Mahayana é a prática dos 6 Paramitas e gerar a Mente Bodhichitta, que nasce de uma motivação pura por beneficiar a todos os seres.

O primeiro dos Paramitas é a Generosidade. Mas quando se pratica a generosidade é importante avaliar o objeto último de nossa prática. Por exemplo, quando doamos dinheiro a um alcoólatra, o fim será danoso para a pessoa e seu entorno. Mas quando o objeto é puro, como é a construção de um templo budista, trará felicidade a muitos seres sem preferências.

Milarepa disse que ganha o mesmo mérito aquele que pratica o Dharma como aquele que sem ser praticante apoia com doações a Sangha ou comunidade e à construção de templos. Ao contribuir de diferente maneira o benefício de todos os seres, juntos podem alcançar a Iluminação.